Gisèle Santoro
Mâitre de Ballet, Coreógrafa, Coordenadora & Diretora Artística do Seminário Internacional de Dança de Brasília.

Membro do Conselho Internacional da Dança – CID/UNESCO

cdgisele2.jpg

Gisèle Santoro

Membro dos júris de importantes concursos internacionais de Dança (Varna, Moscou, Paris, Osaka, Montevidéu, Houlgate, Garches, Evry), dos nacionais do Rio de Janeiro, Belém e Taguatinga, foi Membro do Júri de Seleção do Prêmio Estadão de Cultura e por várias vezes Membro da Banca do SATED/DF, inclusive como Presidente. Conhecida internacionalmente como Maître de Ballet, pedagoga e coreógrafa, atuou no Brasil, na Itália, Alemanha, França, Áustria, nos Estados Unidos, na Austrália, no Paraguai, Rússia, Japão e Uruguai. Diplomou-se na Escola de Danças Clássicas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, integrando seu Corpo de Baile. Aluna de Leda Iuqui, Nina Verchinina, Lennie Dale, Berta Rozanova, Mary Wigman e de Eugênia Feodorova - que orientou sua pós-graduação na Fundação Brasileira de Ballet – também participou de cursos de aperfeiçoamento nos EUA e na Europa, sendo convidada para participar de produções do Ballet do Grand Théâtre de Genebra.FoiMaître de Balletdo Teatro Municipal de Heidelberg por vários anos, do “I Balletti de Susana Egri” (Turim, Itália), de diversas Galas Latino-Americanas no Paraguai, e de dois conjuntos coreográficos na cidade de Schriesheim. Em Brasília, fundou a Academia e o Ballet de Câmara Gisèle Santoro e o Ballet de Brasília, que ainda dirige, tendo viajado em tournée pelo Brasil.Em 1991, a convite da Fundação Fulbright, esteve por 8 meses nos E.U.A sediada na Columbia University (Nova Iorque), ministrandoMaster Classese coreografando para companhias, universidades e academias em Nova Iorque, Los Angeles, Iowa, Miami, Boston e Buffalo. Em 1992 foi convidada por Uwe Scholz para Maître de Balletda Ópera de Leipzig. Voltando ao Brasil, foi Coordenadora de Integração e Intercâmbio Cultural da Secretaria de Cultura e Esporte do Distrito Federal (1995 a 1999), Consultora da CAPES e do CNPq para concessão de bolsas de doutoramento no exterior,  representante para a América Latina da Federação Nacional Inter-profissional de Dança da França e da Banca de Seleção da Caixa Econômica Federal para concessão de patrocínios (2006).  Primeira coreógrafa a participar do Desfile de 7 de Setembro, abrindo o evento (2004), e do Curso de Verão da Escola de Música de Brasília (2007). De 2007 a 2010 foi Gerente de Cultura e Educação da Administração de Brasília e de novembro de 2010 a janeiro de 2011 Diretora do Centro de Dança de Brasília. Em 2011 fez parte da Banca do Concurso para professor da Faculdade de Dança do Instituto Federal de Brasília e coreografou a programação social e pedagógica da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro com espetáculos na Bienal do Livro, Hospital da Criança e Hospital Sarah Kubitchek. Em 2012, foi coreógrafa do Festival de Ópera, assumiu a Direção Artística de “O Quebra-Nozes e ministrou um Seminário de Metodologia da Dança Clássica para o Curso de Mestrado em Pedagogia da Dança da Universidade Palucca em Dresden (Alemanha). Fundadora, Coordenadora e Diretora Artística do Seminário Internacional de Dança de Brasília, inserido no Calendário Cultural Oficial do DF, que em 27 edições já concedeu mais de 700 Bolsas de Estudo/Estágios/Contratos para jovens bailarinos brasileiros no exterior.. Seus alunos foram premiados em importantes concursos nacionais e internacionais de Dança e contratados por renomadas companhias nacionais e estrangeiras.Dentre as distinções de que foi alvo, destacam-se: Ordem do Mérito de Brasília, Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes, Medalha de Honra da Prefeitura de Garches (Paris, França), Troféu Fashion Night (Melhor do Ano na Área de Dança), Medalha de Mérito Carlos Gomes (ALMUB), Medalha de Mérito da RV Promoções (SP), Troféu Anatel e Fulbright Commission Fellowship, além de Homenagens como  a Medalha da Staat. Ballettschule Berlin, Medalha do Concurso Internacional de Dança de Osaka, Troféu II New Fest Dance de Campos de Jordão, Troféu  Partner de Dança de Salão, Troféu do 4º. Festdança de Goiânia, Troféu do XXII Festival Nacional de Dança do CBDD, Troféu Taguatinga Dança 2005, Troféu III Mostra de Dança de Mato Grosso, Troféu Assoc. Nacional de

Dança de Salão /ANDANÇAS, Prêmio Maria Ignês de Wit da Pró-Arte de Brasília. Homenageada pela Subsecretaria da Juventude do DF em 2008 e pela Administração de Brasília em 2011, por duas vezes foi escolhida – por uma comissão composta por 70 jornalistas dos diversos periódicos da cidade – como Mãe Alvorada - mães que representam Brasília. Foi homenageada em fevereiro de 2005 pelo Ministério da Cultura - que escolheu cinco personalidades em todo o país, dentro do conceito “Mulheres que fazem Cultura” – pelo trabalho desenvolvido em prol da Dança Brasileira. É membro da Academia de Música e Letras de Brasília (ALMUB), foi Presidente da Associação Profissional de Dança de Brasília e da Associação  dos Profissionais de Dança do DF, bem como membro fundador da Associação dos Bailarinos Profissionais do DF e da Associação Cultural Claudio Santoro. E em 2015, recebeu da Câmara Legislativa do DF o título de Cidadã Honorária de Brasília. Em 2016 condecorada pela Ministra da Cultura e Comunicação da França com a “Ordre des Arts et Lettres” no grau de Cavaleiro.

Atividades em outras áreas: Música– piano erudito e popular, cantora de jazz e bossa nova, com registro na Ordem dos Músicos; Teatro– grupo “Os desconhecidos” (RJ); Literatura– conferências, artigos, poesias.  

É fundadora da Associação Cultural Claudio Santoro - criada em 1989 para homenagear o insigne maestro e compositor brasileiro.